Sab04292017

Última atualizaçãoSab, 29 Abr 2017 2pm

Cultura

Cidade dos Profetas

Congonhas lança o Circuito Municipal de Museus

A Prefeitura de Congonhas e a Fundação Municipal de Cultura, Lazer e Turismo (FUMCULT) anunciaram, nesta segunda-feira, 20, a criação do Circuito Municipal de Museus, em evento realizado no Museu de Congonhas e que contou com a presença de artistas, parceiros e servidores públicos municipais. Ao longo do último ano, foram realizadas parcerias com entidades, empresas, fundações, UNESCO, o Governo Federal, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), e Governo do Estado de Minas Gerais, para concretização de um dos maiores programas de ação cultural do interior do estado, que dará vida nova a museus, centros culturais e igrejas de Congonhas localizadas num percurso histórico de devoção e fé. Serão promovidos na ladeira histórica da cidade - onde os equipamentos estão instalados -, shows, concertos, bate-papos, seminários, lançamentos de livros, CDs, oficinas, workshops, exposições, especiais de televisão e um amplo programa educativo.

Os projetos artísticos foram elaborados para potencializar o turismo e a cultura de Congonhas, cidade que há 30 anos ganhou o título de “Patrimônio Cultural Mundial”. A proposta foi escolhida em diálogo com as diretrizes internacionais estabelecidas pela UNESCO, que elegeu 2017, o ano para garantir que “o turismo sirva para preservar, em vez de destruir o patrimônio multifacetado do mundo, contribuindo para o bem-estar e a dignidade das comunidades, além de proporcionar a reunião das pessoas”.

O secretário municipal de Comunicação e Eventos, Sergio Rodrigo Reis, destaca que o Circuito Municipal de Museus irá potencializar o cenário cultural e artístico da cidade. "Já temos, naturalmente, um percurso de devoção e fé, recheado por turismo e cultura. Estamos utilizando esse percurso para ativar cultura, arte e entretenimento. Temos ideias semelhantes a essa sendo empregadas com muito sucesso em algumas partes do mundo, como nos Estados Unidos e na França. No Brasil, uma experiência como essa foi adotada na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte", completa.

Os eventos foram divididos em eixos programáticos que pretendem ampliar e fomentar as atividades da economia criativa de Congonhas, potencializar a agenda dos espaços culturais e estabelecer um amplo programa local de educação patrimonial. A proposta vai ao encontro de um momento histórico no município quando se celebra, em 2017, a origem das suas principais devoções religiosas: 260 anos da peregrinação a Bom Jesus de Matosinhos e 200 anos da fé a São José Operário.

Confiram os Destaques:

Série de Concertos Coloniais
Alguns dos principais músicos do Brasil, com carreiras internacionais, e até um trio da Coreia do Sul, se apresentarão nos Museus de Congonhas. Destaque para recitais dos pianistas Celina Szrvinsk e Miguel Rosselini (dia 22/03, às 20h); das coreanas do Kim Trio (dia 03/04) e do violoncelista Antônio Meneses (dia 30 de agosto).

Série Palácio das Artes
Os principais corpos artísticos de Minas Gerais, mantidos pela Fundação Clóvis Salgado, planejam apresentações na agenda cultural dos Museus da cidade. Os primeiros serão a Cia de Dança de Minas Gerais (dia 10/05) e a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (dia 31/05). A exposição da obra do pintor e muralista romeno naturalizado brasileiro, Emeric Marcier (1916-1990), que foi sucesso no Palácio das Artes, ganha uma versão inédita ainda em abril, no Museu de Congonhas.

Série de Exposições
A fotografia é um dos destaques do Museu de Congonhas, que inaugura, em abril, a mostra “Arte e Fé”, de Mauro Fernandes Barros; em junho, “O Santuário”, de Welerson Athaydes; e, em agosto, “Paixão e Fé”, de Eliane Gouvea. A mesma instituição recebe a escultura de Giovani Fantauzzi; os desenhos de Lyria Palombini, a exposição Mineiridades (VALE) e a obra do paisagista Roberto Burle Marx (1909-1994). Já o Museu da Ladeira abrirá exposições de Brasilino Toldo e outra dedicada ao Jubileu de Congonhas “260 Anos de Devoção”.

Série 80 Anos do Iphan
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional celebra seus 80 anos em 2017. O Circuito de Museus de Congonhas, em agradecimento à excelente parceria com a instituição, agendou um ano inteiro de celebrações. Estão programados a assinatura do Termo de Parceria entre Iphan/UFMG e FUMCULT para prosseguimento dos trabalhos do Centro de Referência de Estudos da Pedra; oficinas de Preservação de acervo; de restauração de telhados de monumentos históricos; assinatura do contrato de restauração telhado da Basílica do Senhor Bom Jesus; abertura do projeto Ateliê Vivo em parceria com Oficina do Restauro e a exposição de Burle Marx.

Programa Educativo
Celular na escola? Vídeos no YouTube para estudar? Interação? Conexão? Rede social? Você já imaginou todos esses recursos em sala de aula? O Circuito de Museus de Congonhas entra na discussão oferecendo um amplo programa voltado para a Formação em Mídia-Educação. São cursos e seminários que promoverão o conhecimento e as metodologias necessárias para que os professores possam usar as novas tecnologias no processo de ensino. Alguns dos principais especialistas do assunto vindos de universidades de São Paulo, do Rio Grande do Sul e da Bahia, estarão em Congonhas oferecendo a capacitação para os educadores locais. Serão palestras e cursos como: “A nova sala de aula”; “Criação e produção de vídeos”; “As estratégias da Narrativa” e a “A sala de aula do tamanho do mundo”.

Semana de Museus
O Circuito de Museus criou uma programação intensa em todas as instituições da cidade. Haverá lançamento do projeto “Depoimentos para Posteridade”; “Prosa na Janela”; da Gincana dos Museus; das oficinas escultura em barro; de Confecção de Velas, Ex-votos e Terços Artesanais; Visita ao Museu da Ladeira e Caminho à Ruína da Fazenda dos Farias, além da exibição do documentário “A Fé ao Bom Jesus de Matosinhos”.

Série Congonhas faz Cultura
Os artistas locais serão destaque em 2017. Projetos como o Arte na Escola da Secretaria Municipal de Educação e Garoto Cidadão, da Fundação CSN, estão entre as atrações. Além deles, a partir desta semana, será publicado mais um edital do projeto “Congonhas faz Cultura”. A ideia é escolher propostas artísticas para apresentar nos Museus e centros culturais instalados ao longo da ladeira histórica da cidade.

Série de Eventos Institucionais
Algumas das principais emissoras de televisão do Brasil e de Minas firmaram parcerias institucionais com a cidade de Congonhas para potencializar nosso patrimônio material e imaterial. Os resultados começam a dar frutos. Dia 29, uma equipe de cerca de 50 pessoas da Rede Minas, chega a Congonhas para a gravação do especial “Paixão e Fé”, no Santuário de Bom Jesus de Matosinhos. Já a Rede Globo acaba de renovar parceria para divulgação do novo projeto do Coral Cidade dos Profetas: o disco Mestres do Colonial Mineiro. O CD será lançado em abril (Congonhas) e, em maio (BH).

Entenda o Circuito:
O Circuito Municipal de Museus de Congonhas foi criado para potencializar, com atividades artísticas, os museus e centros culturais instalados no percurso histórico de Congonhas. O percurso compreende o Centro Cultural da Romaria, o Museu de Congonhas, o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos (Patrimônio Cultural Mundial), o Museu da Ladeira, a Igreja de São José Operário, a Estação Ferroviária, o Cine Teatro Leon, a Matriz de Nossa Senhora da Conceição e a Igreja do Rosário. Além das atividades culturais, serão impressos guias bilíngues para ajudar a propagar as atrações e curiosidades destes patrimônios históricos do município.

Foto &Texto : Por Secom

Informações: (31) 3731-3056 e www.museudecongonhas.org