Sab04292017

Última atualizaçãoSab, 29 Abr 2017 2pm

Cultura

18ª Mostra de cinema

Atriz Paraense Dira Paes é homenageada em Tiradentes

No ano de sua maioridade, a 18ª edição da Mostra de Cinema de Tiradentes que acontece de 23 a 31 de janeiro presta homenagens à atriz paraense Dira Paes e coloca em debate “Qual o lugar do cinema hoje?”. Esta pergunta vai nortear a temática central do evento e reunir nas mesas de discussão profissionais do audiovisual para refletir a relevância do cinema em tempos de novas tecnologias e telas expandidas.

São 128 filmes brasileiros (37 longas e 91 curtas) distribuidos em 59 sessões de cinema e três espaços de exibição instalados para atender a programação do evento – Cine-Tenda, Cine BNDES na Praça e Centro Cultural Yves Alves-Sesi Tiradentes. Representantes de 16 estados do país: Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Espírito Santo, Maranhão e Pará apresentam suas produções e marcam presença no evento.

“A cada edição da Mostra Tiradentes reafirmamos o compromisso de realizar uma mostra que tem a força de revelar o cinema brasileiro contemporâneo, desvendando o imaginário nacional diante de milhares de pessoas. Ao mesmo tempo, inauguramos o calendário audiovisual do Brasil em suas perspectivas, tendências e novos paradigmas”, ressalta Raquel Hallak, coordenadora da Mostra de Cinema de Tiradentes.

A seleção de longas apresenta 37 filmes e inaugura a programação com o inédito “Órfãos do Eldorado”, de Guilherme Coelho. As produções estão divididas em mostras temáticas Aurora (7 filmes), Homenagem (3), Transições (6), Autorias (4), Sui Generis (3), Praça (6), Bendita (2) e Mostrinha (4), uma sessão Cine-Debate e a sessão de encerramento, com o mineiro “Ela Volta na Quinta”, de André Novais Oliveira com objetivo de propor um olhar plural sobre a produção contemporânea e dar oportunidade ao público de conhecer recortes possíveis de realizadores tão distintas. “A dinâmica dramática e narrativa do deslocamento de corpos tem sido recorrente no cinema brasileiro recente, em produções menos ou mais independentes, menos ou mais caras, menos ou mais convencionais”, destaca o curador Cléber Eduardo.

Duas das seções de longas terão caráter competitivo em 2015. Como já é tradicional, uma delas é a Mostra Aurora, dedicada a filmes independentes de diretores com até três longas no currículo. Disputam o prêmio do Júri da Crítica e o Prêmio Itamaraty de R$ 50 mil, os seguintes títulos: “A Casa de Cecília” (RJ), de Clarissa Appelt; "Mais do que eu Possa me Reconhecer" (RJ), de Allan Ribeiro; "Medo do Escuro" (CE), de Ivo Lopes Araújo; "O Signo das Tetas" (MA), de Frederico Machado; "Ressurgentes: Um Filme de Ação Direta" (DF), de Dácia Ibiapina; "Teobaldo Morto, Romeu Exilado" (ES), de Rodrigo de Oliveira; e "O Animal Sonhado" (CE), de Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima, Victor Costa Lopes.

Por sua vez, o Júri Jovem, formado por estudantes que cursaram a oficina de Análise de Estilos Cinematográficos ministrada por Cléber Eduardo durante a Mostra CineBH 2014, irá definir o melhor filme da Mostra Transições, composta este ano por “A Despedida”, de Marcelo Galvão (SP), “Brasil S/A”, de Marcelo Pedroso (PE), “Casa Grande”, de Fellipe Gamarano Barbosa (RJ), “Com os Punhos Cerrados”, de Luiz Pretti, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti (CE), “O Tempo não Existe no Lugar em que Estamos”, de Dellani Lima (MG), e “Obra”, de Gregorio Graziosi (SP).

Na programação de curtas-metragens, os 91 filmes serão exibidos em 10 mostras temáticas, sendo que uma delas, a Mostra Foco (12 curtas), será avaliada pelo Júri da Crítica. As demais seções são Panorama (22 curtas), Dissonâncias (9), Praça (15), Cena Mineira (7), Cena Regional (4), Formação (8), Jovem (4) e Mostrinha (10). A curadoria ficou a cargo de Francis Vogner, Pedro Maciel Guimarães e Cléber Eduardo. “Entre outros destaques, chamo atenção para a mostra inaugurada este ano, a Dissonâncias, em que explicitamos uma polarização interna do trabalho de curadoria”, diz Pedro Maciel. “Nessa mostra, escolhemos filmes que foram bastante defendidos por um ou dois membros da seleção e rechaçados pelo outro, ou pelos dois outros. São filmes que potencializam as subversões em ternos de formas e discursos e, por isso, polarizaram as apreciações”.

No 18º Seminário do Cinema Brasileiro, 27 debates propõem uma reflexão do momento atual do cinema brasileiro, sendo três debates conceituais, três painéis com foco no mercado audiovisual brasileiro e internacional e 20 bate-papos que integram a série “Encontro com a crítica, o diretor e o público”. A homenageada Dira Paes também será o centro de uma mesa de discussão, contando com a participação dos cineastas Cláudio Assis, Guilherme Coelho e Rosemberg Cariry, além da própria atriz e mediação de Pedro Maciel Guimarães.

Com o propósito de formar novas plateias e novos públicos para o cinema brasileiro, a Mostrinha de Cinema, recorde da programação dedicada ao público infanto-juvenil está cheia de novidades e filmes premiados. A animação “O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu, revelou-se um dos títulos do país mais comentados do ano passado em todo o mundo. Na programação, há ainda as aventuras juvenis mineiras “O Segredo dos Diamantes”, de Helvécio Ratton, e “O Menino no Espelho”, adaptação do romance de Fernando Sabino feita por Guilherme Fiúza. Por fim, “Amazônia”, coprodução com a França, leva a discussão ecológica para as telas.

Além da exibição de filmes, a Mostra Tiradentes promove uma temporada intensa de atividades culturais com a realização de 10 oficinas de formação e oferta de 270 vagas, 10 lançamentos de livros e DVDs, cortejo e teatro de rua, performances audiovisuais e intervenções artísticas.
Cada vez mais interativa, a Mostra Tiradentes traz na sua 18ª edição o coletivo #eufaçoamostra em performances no Espaço Cine Lounge, uma novidade que vai agitar as madrugadas do festival.  O coletivo #eufaçoamostra é composto por alunos das oficinas de Processos Audiovisuais Cocriativos realizadas em anos anteriores. Funciona como um núcleo de produção de microvídeos de caráter instantâneo feitos de maneira colaborativa.

A programação artística da 18ª Mostra Tiradentes promove ainda o tradicional Cortejo da arte que percorre as ruas de Tiradentes no sábado, dia 24, comemorando os 311 anos de fundação do Arraial de São José Del Rey e os 297 anos de sua elevação à categoria de cidade, que mais tarde ganhou o nome de Tiradentes. E à noite, para inaugurar a programação do Cine BNDES na Praça, a presença do artista mineiro Carlos Bracher que participa da sessão denominada Arte na Praça que exibe o curta “Bracher Pintura & Permanência”, direção de Blima Bracher. No último dia do evento, 31, à tarde, o público poderá conferir espetáculo de ilusionismo no Cine-Praça com o mágico Klauss.

Foto: Divulgação Online

Neste fim de semana

Professor Afonso Henriques lança livro

Nesta semana, acontece o lançamento do romance “ana,”, acompanhe a entrevista com o Professor de português Afonso Celso Henriques.

 “A expectativa é grande, este é meu segundo livro, o primeiro de poemas ‘Química de Nós’ foi lançado no ano de 2011, “ana,”  é um romance que se passa numa casa de tolerância, onde um cliente ao chegar no final da vida, conhece a personagem central, uma prostituta mais nova, dai então, o leitor tem que comprar o livro e se encantar com os dez capítulos. O livro traz ilustrações de Ana Luíza Marques e prefácio da educadora Ana Cláudia Resende Silva” finalizou.

O livro foi lançado sexta-feira (05/12) na Casa do Professor, na cidade de Congonhas/MG (Foto). No próximo dia (12/12), o romance será lançado em Conselheiro Lafaiete/MG, no restaurante Villas Gourmet, dentro de uma programação cultural que inclui a apresentação do Coral Nheengarecoporanga, da cidade de Petrópolis – RJ.

Foto: Divulgação

 

Grupo Lesma apresenta

Sarau Escrevivência 

A Liga Ecológica Santa Matilde (LESMA), promove, neste final de semana, sexta feira e sábado (dias 15 e 16 de agosto) mais uma edição do “Sarau Escrevivência”. Desta vez o evento cultural acontece nas cidades de Congonhas e Conselheiro Lafaiete celebrando ainda as parcerias com o Grupo Boca de Cena, de Congonhas, a Editora Asa de Papel, de Belo Horizonte e também unindo uma vez mais artistas e comunidades lafaietenses e congonhenses. Haverá recitais, lançamentos, exposições, música e homenagens. A celebração cultural é uma das  marcas do evento. 

Confira a programação:

Dia 15 de agosto (sexta feira)

Cidade: CONGONHAS

Local: Espaço Cultural Boca de Cena (avenida JK, 1000, centro)

18h - Abertura do evento com exposição de artes plásticas com artistas regionais

19h – Sarau Escrevivência. Participação de poetas e artistas locais e regionais

20h – Espetáculo “ÁBACO: arquitetura da palavra & som” com João Diniz (voz, som, textos) e Márcio Diniz (guitarra). Na sequência diálogos e lançamento do livro e cd “Ábaco”, de João Diniz.

21h30 – Confraternização Poética

Dia 16 de agosto (sábado)

Cidade: CONSELHEIRO LAFAIETE  

Local: Restaurante Sobrado e Cia. (avenida Prefeito Mário Rodrigues Pereira, 35, centro – Edifício Itamar, Lafaiete). 

20h – Abertura do Sarau Escrevivência com o Grupo Lesma e artistas locais e regionais.

- Entrega da “Medalha do Mérito Cultural Abril Poético” a parceiros e apoiadores do projeto na edição 2014

- 21h – Espetáculo “ÁBACO: Arquitetura da Palavra & Som”, de João Diniz (voz, som e textos) e Márcio Diniza (guitarra). Na sequência diálogos e lançamento do livro e CD “Ábaco”, de João Diniz. 

22h – Confraternização Poética

 Serviço:

Liga Ecológica Santa Matilde (LESMA)

Travessa Comendador Lalão, 59 -  Centro

Conselheiro Lafaiete MG - CEP: 36400-000

e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

(31) 8584-5056  /  8667-0430  / 9184-0551  

Congonhas

A 1ª cidade no programa ''Era Virtual Cidades Patrimônio''

Por: Assessoria de Comunicação PMC / Secom

Lançado nesta segunda-feira, 17/11, o site e aplicativo “Era Virtual – Cidades Patrimônio”. O projeto, patrocinado pela Fundação Vale, com apoio da Prefeitura Municipal de Congonhas, Unesco e Iphan, possibilita a realização de visitas virtuais ao acervo religioso, artístico e arquitetônico de Congonhas.


Através do site o internauta poderá realizar visitas virtuais ao circuito de peregrinação de Congonhas, onde está o maior conjunto arquitetônico barroco do mundo acompanhado por áudios e textos educativos, com versão em cinco idiomas - incluindo Libras.

Graças à tecnologia, em qualquer lugar do mundo, será possível ter uma perspectiva diferenciada do conjunto por meio de imagens em 360 graus, aéreas e em solo. Além disso, o internauta poderá ouvir durante o “passeio” a obra de Lobo de Mesquita interpretada pelo Coral Cidade dos Profetas.

Já o aplicativo para smartphones e tablets fornece um material completo e objetivo voltado para o turista e visitante presencial. A visita virtual é acessada pelo portal www.eravirtual.org e o aplicativo pode ser baixado gratuitamente nas lojas online (Android Market ou AppleStore).

A novidade foi recebida com entusiasmo pelos alunos do 9º ano das escolas municipais de Congonhas. A jovem Sara Diniz, 15 anos, aluna da Escola Dom João Muniz aprovou a iniciativa. “Eu achei tudo muito moderno. O site vai ajudar muito nas pesquisas escolares. Hoje todo mundo usa celular, então o aplicativo também será muito útil”, afirmou.

 diretora de Educação Infantil e Ensino Fundamental, Rosilene Junqueira, também aposta na ideia para uso escolar. “Esse recurso vai estimular nossos alunos para a pesquisa e conhecimento da nossa cultura, principalmente porque é uma ferramenta atrativa que eles usam e gostam. É muito importante educação e cultura estarem juntas”, completa a educadora.

Durante o lançamento o prefeito “Zelinho” informou que irá encaminhar para a Câmara de Vereadores um projeto de lei instituindo o estudo do Patrimônio Histórico de Congonhas como matéria obrigatória nas escolas municipais.

O lançamento dos novos recursos tecnológicos faz parte das comemorações pelo Bicentenário de Morte de Aleijadinho. As celebrações seguem até o final de novembro. 

Foto: PMC / Assessoria de Comunicação 

“Casa do Teatro”

Entidade cultural tem cara nova

Inaugurado no sábado (19/07), a nova sede da Casa do Teatro de Conselheiro Lafaiete. Após muita luta por parte da organização, a entidade inaugurou seu novo espaço cultural.

A sede funciona na rua Olegário Pinto, ao lado da agremiação carnavalesca “ Escola de Samba Unidos do São João”. Conforme o diretor e teatrólogo Geraldo Lafayette, o espaço busca ampliar projetos culturais, voltados para arte cênica de Conselheiro Lafaiete e região. 

Da Redação 

Durante esta semana, uma sequência de espetáculos serão apresentados para população da cidade, ajudando desta forma, a eliminar uma carência de arte e cultura, vivida pelo município.

Acompanhe a programação do Festival de Teatro de Conselheiro Lafaiete - FACE  

Serviço: 

Valor do ingresso R$3,00 para aqueles que não optarem em levar 1 Kg de alimento não perecível. A troca do ingresso pelo alimento deve ser realizada na secretaria do Clube Carijós, no centro da cidade. 

Dia (21/07) 

14 h: Espetáculo Dona Baratinha – A ópera 

Local: “Casa do Teatro”

15 h: Espetáculo Doutores do Sorriso

Local: Hospital e Maternidade São José

20 h: Espetáculo Casa das Tias 

Local: Sede Social do Clube Carijós   

Dia (22/07)

14h: Espetáculo “A formiguinha fofoqueira” 

Local: “Casa do Teatro”

15 h: Espetáculo Doutores do Sorriso 

Local: Hospital São Vicente e Queluz 

19 h: Depois das cartas de amor

Local: Sede Social Clube Carijós 

20 h: Tá sobrando alguém na cama

Local: Sede Social do Clube Carijós 

Foto: Sede Casa do Teatro 

Grupo de Teatro Dez Pras Oito

Um espetáculo sobre Aleijadinho
Por: Assessoria de Comunicação - PMC /Secom

As homenagens ao Bicentenário de Aleijadinho em Congonhas ganham uma atração especial com a estreia do espetáculo “Aleijadinho: Criador e Criatura”, do Grupo de Teatro Dez pras Oito. Com texto de José Félix Junqueira e direção de Kalluh Araújo, a peça conta a vida e obra de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, considerado o grande mestre do Barroco Brasileiro. A montagem, com patrocínio da mineradora Ferrous, será apresentada dias 13, 14 e 15 de novembro, às 20h30, no Cine Teatro Leon, em Congonhas, com entrada gratuita.

Uma história instigante, tratada de forma original, a peça ressalta o conflito desse artista que, a despeito das limitações físicas, consegue superar as adversidades para construir uma obra, considerada patrimônio mundial pela Unesco. A montagem destaca a presença do escultor em Congonhas, quando criou os Passos da Paixão de Cristo e os doze Profetas, e é incrementada com ficção em cenas como o aprendizado com seu pai, seus romances, sua luta com as enfermidades que o acometeram, sua relação com os escravos que formavam sua equipe de trabalho, e a sociedade racista da época.

José Felix Junqueira acredita que o público irá se apropriar do espetáculo, por ser um tema forte e atual. “Aleijadinho está além do seu tempo, revolucionou a arte no Brasil e é sobre isso que falamos no espetáculo, a trajetória de um artista, que usando a tenacidade como ferramenta, esculpiu na matéria bruta do improvável, uma obra transcendental”, acrescenta.

Ao ser convidado para dirigir a peça, o premiado diretor Kalluh Araújo aceitou de imediato. Para ele, “essa é a oportunidade de contar a história desse grande artista brasileiro. O texto tem uma poesia e uma dramaturgia muito forte e o público de Congonhas poderá conferir o retrato de um homem que está enraizado na cultura da cidade, ver a vida e a obra de Aleijadinho nos palcos”, completa o diretor, que também assina luz, trilha, figurino, cenário e coreografia.

Foto: Divulgação 

Reta final

Restauração do solar do Barão de Suaçuí 

Fonte: Assessoria de Comunicação – PMCL 

Local terá biblioteca, área para exposições, auditório e espaço para entidades culturais em Conselheiro Lafaiete/ MG

Entraram na fase final de execução as obras de restauração do solar do Barão de Suaçuí, em Conselheiro Lafaiete. O antigo casarão também conhecido como “Castelinho” está sendo recuperado pela Construtora Cajado com projeto financiado pela MRS Logística por meio de Termo de Ajustamento de Conduta aplicado pelo Ministério Público à empresa.

A secretária municipal de Cultura, Mauricéia Aparecida Ferreira Maia informou que a reforma e restauração já estão na fase de acabamento, com a limpeza e a retirada de materiais do canteiro de obras. A MRS deverá entregar as chaves do prédio ao município ainda este mês. Segundo a secretária, a partir daí o município vai mobiliar o prédio.

O solar possui 17 cômodos e vai abrigar uma biblioteca, sala de reuniões, área para exposições, auditório ao ar livre e espaço para entidades culturais.

Sobre o novo aspecto do Solar do Barão de Suaçuí, a secretária de Cultura destacou que a população vai receber um imóvel recuperado mantendo as características originais. “É uma obra complexa e a maior em termos de restauração do estado de Minas Gerais. A obra vai chamar muita atenção pela riqueza de detalhes e pela recuperação até mesmo das cores mais antigas que existiam dentro do imóvel”, comentou Mauricéia.

Embora a obra esteja próxima do término ainda não há uma data definida para a inauguração.

O Solar do Barão do Suaçuí foi um dos primeiros prédios erguidos no antigo Arraial Campo Alegre dos Carijós e residência do inconfidente Padre Fajardo. O local também foi residência do Barão de Suaçuí e abrigou as escolas Monsenhor Horta, Astor Viana e Inconfidência, além da antiga Faculdade de Comércio Exterior, Câmara Municipal e Fórum.

A obra

Valor: Aproximadamente R$3.200.000,00 (Três milhões e duzentos mil reais). 

Viabilizada por meio de Termo de Ajustamento de Conduta aplicado pelo Ministério Público à MRS Logística pelo pagamento de multas.

Arquiteto: Heraldo Laranjo.

Início da obra: agosto de 2012.

Previsão de entrega: maio de 2014

Foto: Divulgação PMCL 

SESI/FIEMG inicia turnê

 "AI MEU ZEUS! - Os Deuses na indústria"  

Apresentações serão realizadas em Congonhas (27/08) e Conselheiro Lafaiete (28/08)

Após o sucesso da estreia em Belo Horizonte, o Circo SESI inicia turnê pelo interior de Minas Gerais com o espetáculo “Ai Meu Zeus! – Os Deuses na Indústria”. A primeira apresentação será em Congonhas, no dia 27 de agosto, às 20h, no Espaço Romaria do Senhor de Bom Jesus de Matozinhos. No dia 28 de agosto, o espetáculo será levado a Conselheiro Lafaiete, às 21h, na Praça do Cristo.

Em seu segundo ano de atuação, o projeto Circo SESI, idealizado pelo SESI/FIEMG, já contemplou mais de 55 mil pessoas, com a realização de 362 intervenções e 28 espetáculos circenses, em mais de 60 municípios mineiros.  O Circo SESI, projeto cultural de cunho socioeducativo, circula pela capital e interior de Minas Gerais em indústrias, escolas, teatros, praças e demais espaços públicos. São realizadas intervenções circenses e espetáculos teatrais para transmitir conceitos relacionados à saúde, segurança, valorização da indústria e capacitação profissional, por meio de um conjunto de ações que remetem à Escola Segura, Escola Móvel, SST (Segurança e Saúde no Trabalho) e Grandes Espetáculos. 

O novo espetáculo - “Ai Meu Zeus! Os Deuses na Indústria” une a mitologia grega ao universo industrial, por meio de uma narrativa épica, envolvente e atemporal. Deuses, semideuses e titãs são transportados dos livros e filmes para o século XXI. Os assuntos referentes à segurança e saúde no trabalho são abordados por meio da fusão de linguagens do teatro, dança, música e circo, de forma descontraída e lúdica.

O objetivo da encenação do texto é fazer com que a plateia seja testemunha da saga de Clio para encontrar Hércules, Perseu e Aquiles e derrotar os titãs. O cenário é dividido em dois planos: terreno (indústria e floresta) e celeste (Olimpo). Os materiais cenográficos servem ainda como adereços que serão manipulados pelos atores, para dar dinâmica à cena.

Conheça as estatísticas do Circo SESI:

Indústrias atendidas: 82

Industriários atendidos: 16.835

Público total atendido: 55.044

Público atendido por intervenções: 42.695

Público atendido por espetáculos: 12.349

Quilômetros percorridos: 20.681

Número total de apresentações: 390

Número de intervenções: 362

Número de espetáculos: 28

Espaços atendidos: 170

Cidades atendidas: 60

Escolas atendidas: 68

Espaços públicos atendidos: 42

Mais de 1000 empregos gerados

Mais 220 apresentações serão realizadas até o final de 2014

*Dados referentes ao período de março /2013 a junho/2014

Serviço:

Espetáculo “Ai Meu Zeus! – Os Deuses na Indústria” 

CONGONHAS - MG

Data: 27 de agosto (quarta)

Horário: 20H00

Local: Espaço Romaria do Senhor de Bom Jesus de Matozinhos  

CONSELHEIRO LAFAIETE - MG

Data: 28 de agosto (quinta)

Horário: 21h00

Local: Praça do Cristo 

Fotos :Guto Muniz

 

Na batida de um surdo

A bandeira do samba em Conselheiro Lafaiete, agora triunfa na saudade da perda de um grande sambista, morreu na tarde desta terça-feira (06/05), o mestre-sala José Luiz da Silva – o Pelé, como era conhecido por amigos e sambista regionais.

Pelé faleceu em decorrência de problemas cardíacos. O destino neste carnaval de 2014 agradeceu o grande sambista ainda em vida, Pelé foi homenageado onde sempre gostou, na avenida do samba, mesmo debilitado pela doença, Pelé desfilou sentado em um carro alegórico e sempre sorrindo, se levantava para agradecer os aplausos recebidos pelo o púbico. 

Sepultamento

O corpo de José Luiz da Silva está no velório Ana Romeiro. Seu sepultamento acontece nesta quarta-feira (07/05), pelo horário das 16:00 horas, no cemitério Nossa Senhora da Conceição. 

Foto: Jornalista Carlos Pacelli/Arquivo Jornal Estadoatual - Carnaval de 2013 

 

Sub-categorias