Seg05292017

Última atualizaçãoSeg, 29 Mai 2017 2pm

Neste Sábado

Campanha de vacinação antirrábica

Cidade de Congonhas se movimenta contra a doença

Chegou o dia da mobilização da Campanha de Vacinação Antirrábica Animal nas áreas urbana e rural na vizinha cidade de Congonhas. A campanha acontece hoje, (Sábado, 21/5 das 8h às 17h).

Ao todo, serão 24 pontos, entre unidades básicas de saúde e escolas municipais, que vão oferecer a dose para cães e gatos. Não haverá vacinação domiciliar, nem será liberada a dose para que o próprio dono faça a aplicação, conforme orientação do Ministério da Saúde. Assim, os proprietários devem levar os animais ao local de vacinação mais próximo.

Vacinação na área urbana (8h às 17h)
UBS Primavera
UBS Campinho
Antiga Policlínica
Coreto Dom Oscar
UBS Jardim Profeta
UBS Centro
UBS Residencial
UBS Basílica
UBS Vila São Vicente
Escola Municipal Maria Augusta Monteiro (bairro Lamartine)
UBS Alvorada
UBS Ideal/Jardim Andreza
Escola Municipal Engenheiro Oscar Weinschenk (Matriz)
Escola Municipal Jair Elias (Santa Mônica)
Rodoviária
Escola Municipal Barão de Paraopeba (Vila Andreza)
Vacinação na área rural (8h às 17h)
UBS Pires
UBS Lobo Leite
UBS Joaquim Murtinho
Correios Maranhão
UBS Santa Quitéria
UBS Pequeri
Das 8h às 12h
UBS Vila Marques
Das 13h às 17h
UBS Vila Cardoso

Saiba mais
Raiva Canina - Tipos, sintomas e tratamentos

Conheça os sintomas da temida raiva canina e ajude a diagnosticar o seu pet
A raiva canina é a mais conhecida das zoonoses (infecções e doenças transmitidas entre animais vertebrados e humanos), e segue como um problema a ser controlado em quase todo o mundo. Transmitida pelo contato com a saliva de um cão doente – principalmente por meio da mordida – a doença pode demorar até dez dias para se manifestar no animal infectado e, em quase 100% dos casos, é fatal. Apesar de praticamente erradicada na maioria das metrópoles, ainda merece alerta.


Entre os principais sintomas da raiva canina estão sintomas de agressividade no animal, salivação excessiva, paralisia e mudanças de comportamento, que podem fazer seu pet deixar de ser alegre e festeiro para se tornar depressivo e retraído. Considerada incurável, a raiva tem na vacinação a sua única forma de prevenção eficiente nos animais e, atingindo o sistema nervoso, pode se manifestar de três maneiras diferentes: raiva furiosa, raiva muda e raiva intestinal.

Raiva Furiosa
No caso da raiva furiosa, considerada a mais comum, o animal apresenta comportamento estranho e procura ficar em lugares escuros, se esconde atrás de móveis, não responde aos chamados do dono e fica extremamente agitado durante a primeira fase da doença, que dura até três dias. Após esse período, o cão passa a recusar alimentos, procura água mas não conseguir bebê-la, saliva muito e torna-se agressivo. A partir do quarto dia da doença, o animal entra num estado paralítico, e chega a morte em cerca de 48 horas.

Raiva Muda
Na raiva muda, os sintomas iniciais da raiva furiosa também se manifestam, no entanto, o cão se apresenta melancólico e sonolento, sem mostrar agitação. Os sinais de paralisia, principalmente no maxilar, já começam a aparecer na segunda fase da doença e, a partir disso, o animal tem seus sintomas agravados até chegar a morte.

Raiva Intestinal
No caso da raiva intestinal (a raiva canina mais rara), o cão não apresenta sinais de agressividade ou de paralisia, tendo, como sintomas, vômitos frequentes e cólicas por um período de dois a três dias, até falecer.
É importante lembrar que nem toda mordida de cachorro transmite, necessariamente, a raiva canina. Portanto, no caso de um incidente desse tipo, o animal em questão deve ser observado durante um período determinado para que se possa saber se ele apresenta ou não os sinais da doença. Porém o individuo lesionado deve ser levado imediatamente para a entidade de zoonoses local, quando mais rápido for o atendimento no caso de raiva, mais chances de uma imunização efetiva.

É fundamental lembrar, mais uma vez, que a vacina é a única maneira de previnir a raiva canina e, por isso, os responsáveis por pets devem visitar um médico veterinário responsável para que a aplicação possa ser feita de forma adequada. No caso de um animal já vacinado ser atacado por um cão doente, o pet deve ser revacinado e observado por cerca de 90 dias, para garantir que não foi infectado.

Fonte: CachorroGato @ http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/sintomas-raiva-canina/

Foto: Ilustração/Divulgação Internet