Busca

Neste ano uma programação online

domingo, 06 de setembro de 2020 às 16:31 - por, admin.

Jubileu de Congonhas


Acompanhe como fica a programação


Há 239 anos, Congonhas promove, de 7 a 14 de setembro, uma das maiores e mais antigas peregrinações religiosas de Minas Gerais, o Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos. Devido à pandemia do coronavírus, este ano o evento religioso não será realizado da forma convencional, tendo sidos suspensas as missas presenciais e a comercialização de produtos nas famosas barraquinhas. Mas uma programação virtual manterá vivas a fé e a devoção. A medida foi tomada pela Arquidiocese de Mariana junto à Prefeitura.

Todas as igrejas da cidade permanecerão fechadas. Neste momento, é importante que romeiros e fiéis permaneçam em suas casas e programem sua visita ao Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos para quando a pandemia acabar.

As celebrações religiosas serão transmitidas ao vivo pelos seguintes canais:

Rádio Congonhas FM 91.3: www.radiocongonhas.com.br

Facebook Rádio Congonhas: www.facebook.com/radiocongonhas

Facebook WebTv Congonhas: ww.facebook.com/webtvcongonhas.

Confira a programação:

7 de setembro:

7h: Missa

10h: Missa dos Excluídos

15h: Abertura do Jubileu do Senhor Bom Jesus 2020

17h30: Reza do Terço

18h: Missa

8 a 13 de setembro:

7h: Missa

15h: Missa

17h:30: Reza do Terço

18h: Missa

14 de setembro:

7h: Missa

10h: Missa

15h: Missa de encerramento

Jubileu de CongonhasO Jubileu de Bom Jesus de Matosinhos de Congonhas, uma das mais antigas festas religiosas do estado, foi um dos grandes propulsores do desenvolvimento da cidade. A devoção ao Senhor Bom Jesus de Matosinhos nasceu com o fiel português Feliciano Mendes, que chegou à Minas Gerais em busca de ouro e, nessa procura, ficou com a saúde debilitada. Fez, então, uma promessa ao Bom Jesus e, quando a graça foi alcançada, empenhou-se em construir o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em 1757.

Com as doações dos devotos, a Basílica do Senhor Bom Jesus foi renovada na segunda metade do século 18, tornando-se um dos mais importantes complexos artísticos e arquitetônicos do barroco mundial. O local guarda as principais obras de Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho, que contemplam 12 profetas de pedra sabão e 64 esculturas em cedro que narram os passos da Paixão de Cristo. Graças a esse rico acervo, Congonhas recebeu o título de Patrimônio Mundial, concedido pela UNESCO.

Para receber todos os fiéis na cidade, ao longo da história, casas de hospedagem foram erguidas e ruas de acesso ao Santuário foram abertas. O investimento em infraestrutura influenciou o desenvolvimento da região.

Todos os anos, milhares de pessoas chegam a Congonhas para agradecer as graças alcançadas, participar de missas, confissões e comunhões e visitar a imagem do Senhor Morto e a Sala dos Milagres (onde são depositados os ex-votos – objetos que testemunham os milagres). Além disso, aproveitam para comprar artigos diversos nas centenas de barracas localizadas na Ladeira Histórica e em toda extensão do Sítio da Basílica.

Assessoria de Comunicação – Texto: SECOM/ PMC

Foto: Divulgação On line